segunda-feira, 21 de agosto de 2017

AS PERGUNTAS INQUIETANTES QUE NOS HABITAM



AS PERGUNTAS INQUIETANTES QUE NOS HABITAM

“E vós, quem dizeis que eu sou?” (Mt 16,15)

Já agradecemos alguma vez pelas perguntas que nos fizeram? Em um diálogo, as perguntas são a ponte entre as vozes, a confluência de corações, o brilho de luz compartilhada. Todas e cada uma delas nos fizeram crescer, mesmo aquela que parecia a mais trivial. Porque cada pergunta vem carregada de matizes, umas com carinho, outras de atenção ou de interesse, e, inclusive, algumas de desafio... Umas foram respondidas, outras não sabíamos como respondê-las, talvez nunca saberemos respondê-las...
A pedagogia de Jesus nos Evangelhos é feita de perguntas.
Jesus é um Deus que pergunta. São inúmeras as vezes em que Ele se aproxima das pessoas e as interroga. Desde o “quê buscais?” no início do evangelho de S. João, passando pelas perguntas na região de Cesaréia de Filipe, “quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”, “e vós, quem dizeis que eu sou?”, até à tríplice interpelação a Pedro, “tu me amas”?
Aquele que é a Verdade, o Caminho e a Vida, também se compõe de perguntas.

Jesus, com sua pedagogia fundada em perguntas, nos coloca diante do mistério de Sua vida e de Suas opções. Responder à pergunta “quem é Ele” é comprometer-se com Ele, é assumir o caminho d’Ele, é arriscar-se n’Ele.
Jesus aproxima-se das pessoas. Não procura convencer, argumentar, ou fazer seguidores à base de discur-sos. Suas perguntas ousadas colocam em crise visões distorcidas, falsas concepções e idéias pré-conce-bidas a respeito d’Ele. Com sua pergunta Jesus provoca uma radical decisão pró ou contra Ele, uma clara opção pró ou contra o Reino.
Um cristão que nunca tenha proposto seriamente esta questão a si mesmo, de uma maneira vital, não está maduro na maneira de viver o seguimento de Jesus Cristo.

Como cristãos nós nos definimos mais pelo perguntar do que pelo responder. “Perguntar” é buscar, é despertar a capacidade de nos deslumbrar diante deste mundo fenomenal que somos nós e diante desta realidade que nos circunda.
A espiritualidade cristã reacende em nós as grandes “interrogações existenciais”:  
“Quem somos nós? – Quê estamos fazendo? –
Por quê estamos fazendo? – Para quem estamos fazendo?...”
A índole interrogatória é traço típico da espiritualidade cristã; o perguntar é ousado; perguntar desafia, tem dose de irreverência; são perguntas de “conversão”, de mudança, que abrem para o futuro, para o novo. A pergunta é movimento, é vida... e suscita resposta viva, criativa, surpreendente... e inesgotável.
Não são perguntas para começar a caminhar, mas para reforçar nosso espírito de aventura e mobilizar nossos recursos interiores na busca do “sentido” de nossa identidade e da missão que realizamos.
Tais perguntas trazem à tona nossas motivações, nossas formas de agir, de amar e de sentir...
A busca é interior, o caminho é pessoal e coletivo, a resposta tem um toque de eleição comunitária.

Desde o início, ainda no paraíso, Deus buscou o ser humano com uma pergunta: “onde estás?”. Deus nos busca continuamente com suas perguntas. Nós somos resposta a essa pergunta primordial.
Igualmente, o ser humano é um amontoado de perguntas, é um ser que pergunta. Com pouco tempo de nascimento e quando vai se abrindo à aventura da vida começam suas perguntas: “por quê?”... um infinidade de “por quês?”
Também somos uma pergunta que fazemos a Deus e esperamos resposta. Quantas gostaríamos de fazê-las a Deus? Mas a resposta só virá quando o nosso coração estiver preparado para escutá-la: sem medo, sem angústias, em atitude de espera e confiança.
“Sê paciente com tudo o que ainda não está resolvido em teu coração... Procura amar tuas própri-as perguntas... Não busques as respostas que não podem ser dadas, porque não serias capaz de vivê-las. E é disto que se trata, de viver tudo. Vive agora as perguntas. Talvez assim, gradativa-mente, sem dar-te conta, possas algum dia viver as respostas” (Rainer María Rilke).

De fato, habitamos nas perguntas. Viver à escuta das interrogações nos mantém despertos no caminho.
São as perguntas que suscitam em nós o assombro frente à riqueza da realidade, a preocupação frente o drama da humanidade, a disposição frente ao futuro..., exigindo-nos assim viver continuamente numa atitude de escuta.

A mediocridade das respostas formatadas paralisam e fecham as portas às novas possibilidades. As perguntas, ao contrário, são o fio de ouro em meio ao cascalho que mobilizam o garimpeiro a buscar sem cansar. As respostas cortam o movimento, atrofiam a curiosidade, matam a criatividade e o espírito de a-ventura; elas impedem a mobilização dos recursos interiores da pessoa na construção do conhecimento, levando-a à apatia e à acomodação.
O momento é de tecer perguntas onde há mais respostas formatadas e fechadas.
Urge, pois, implementar e desenvolver hábitos, processos, que nos ajudem a sermos mais intuitivos através das perguntas que abrem acesso às reservas interiores de criatividade e imaginação, frente aos desafios cotidianos.

A pregunta “quem é Jesus” não pode ser respondida simplesmente com os dogmas.
A resposta deve ser prática, brotar do chão da vida. Nossa vida é a que tem que dizer quem é Jesus Cristo para nós. “Quê diz tua vida de mim?”
Do esforço dos primeiros séculos da Igreja por compreender a Jesus, devemos fazer nossas, não as respostas que deram, mas as perguntas que foram feitas.
A verdadeira pergunta é: “quê é, que significa Jesus Cristo em nossa vida?”  Não basta dizer que cremos em Jesus. É preciso nos perguntar: em quê Jesus cremos e quem é Jesus para nós?
Texto bíblico: Mt. 16,13-20

Na oração: nosso coração se encontra diante da revelação
                 do “eu original”, porque está enraizado na iden-tidade do próprio Jesus (“quem sou eu para vocês?”).
A contemplação da pessoa de Jesus é também desvela-mento do eu “escondido com Cristo em Deus” (Col 3), ou seja, revelação da verdade do eu, onde descobri-mos os traços de nossa própria fisionomia.
Não posso responder a essa pergunta – “Quem é Jesus para mim?” – se não me pergunto ao mesmo tempo: “Quem sou eu, diante do Senhor?” Sem identificação não haverá um encontro profundo com o Senhor.
O encontro comigo mesmo me aproxima do encontro com o Senhor e o encontro com o Senhor revela minha própria identidade.


quarta-feira, 12 de julho de 2017

BLOG NÚCLEOS INACIANOS!



UM LOCAL DE ENCONTRO PARA OS QUE PARTICIPAM OU BUSCAM VIVER A ESPIRITUALIDADE INACIANA EM GRUPOS!!!
Este mês de julho é especialmente festivo para a Companhia de Jesus quando celebramos vários santos jesuítas Bernardino Realino, João Francisco Régis, 56 Mártires da China: São Leão Inácio Mangin e companheiros, Beato Inácio Azevedo e companheiros mártires e, principalmente a data festiva do próprio fundador, Santo Inácio de Loyola.  E é dentro de um mês tão especial que disponibilizamos a todos uma ferramenta que visa unir aqueles que seguem a Espiritualidade Inaciana:  O BLOG DOS NUCLEOS INACIANOS.


Durante os últimos dois anos, alguns leigos e jesuítas ligados à Casa de Exercícios Vila Kostka de Itaici pensamos num modo de responder aos pedidos de dias de oração para diversas comunidades com retiros missionários. Tivemos experiências bem positivas. Num dado momento brotou, como fruto maduro, a possibilidade de criar Núcleos Inacianos que formariam uma Rede Inaciana. Seria uma resposta ao desejo de muitas pessoas e aos apelos do Papa Francisco da Igreja “sair” numa dimensão missionária.  Como primeiro passo estamos iniciando um blog que será o nosso meio de comunicação.  Para saber mais sobre o que é um Núcleo Inaciano você pode ler os objetivos no próprio Blog.

Para que o projeto seja “nosso”, a sua colaboração será muito importante, assim como a divulgação do projeto. É bom destacar que os Núcleos Inacianos serão um instrumento preferencialmente nas mãos dos leigos(as) que poderão contar também com a participação de sacerdotes, religiosos e religiosas.

 Coordenação dos Núcleos Inacianos:  contato@nucleosinacianos.org.br

Pe. Manuel E. Iglesias (Vila Kostka) - Regina Console (Santos, SP)

Fátima Barbuto (São Paulo) - Maria Eugênia Rodrigues (Indaiatuba)

terça-feira, 4 de julho de 2017





                                    As doações também poderão ser feitas na APL- LOYOLA.

                                     No saguão do Colégio- Av. Contorno 7919- Cidade Jardim.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

JIAC & Ação


No último dia 04 de maio, alguns membros da Comunidade Loyola, integrantes do projeto Jiac & Ação, visitaram a Fundação Fé e Alegria do Brasil, em Santa Luzia-MG


“Fé e Alegria é um Movimento Internacional de Educação Popular e Integral de Promoção Social, baseado nos valores da justiça, da liberdade, da participação, da fraternidade, do respeito à diversidade e da solidariedade, dirigido à população empobrecida e excluída, para contribuir na transformação das sociedades”, conforme consta em sua página no Facebook,

A fundação foi criada pelo padre jesuíta José María Vélaz e é mantida pela Companhia de Jesus.

A finalidade da visita foi conhecer a realidade da obra naquele município, suas dificuldades e desafios, para que a Comunidade Loyola possa, por meio da Jiac, contribuir com esta causa. Atualmente, os coordenadores da Jiac & Ação estão realizando atividades preparatórias para, em seguida, apresentar proposta à Comunidade Loyola com o objetivo de convidar a todos a participarem do projeto.

Mas o que é Jiac & Ação?
A Jiac & Ação  é uma iniciativa de membros da Jiac que acreditam no potencial da Comunidade Loyola e na possibilidade de sua participação em projetos de promoção social.

Como funciona a Jiac & Ação?

Uma equipe da Jiac avalia a situação de entidades assistenciais, suas realidades, necessidades e possibilidades de projetos e propõe linhas de ações que visem a um objetivo determinado. Pode ser uma ação pontual ou um projeto que se desenvolve em curto, médio e longo prazos.

Como posso participar?
Qualquer pessoa pode participar da Jiac & Ação, mas este projeto deve ser desenvolvido, fundamentalmente, por membros da Comunidade Loyola. A participação pode ocorrer de várias maneiras, desde a simples contribuição financeira até o trabalho voluntário, com cada participante dispondo de seus dons a serviço da causa que foi abraçada.

Há alguma ação em curso?
Atualmente, estamos avaliando como contribuir a Fundação Fé e Alegria, aqui apresentada. De acordo com o idealizador desta obra, Padre José María Vélaz, “Fé e Alegria começa onde termina o asfalto, onde a cidade muda de nome, aonde não chega água potável”. Neste caso, teremos que nos deslocar até Santa Luzia, onde poderemos interceder em favor dos destinatários do Fé e Alegria.

E quem são estes destinatários?
São crianças, cujos pais ganham salário-mínimo ou em torno disso. Essas crianças necessitam de acompanhamento quando não estão nas escolas em que estudam. Fora do horário das aulas, elas são recebidas pelos funcionários do Fé e Alegria e passam algumas horas em atividades lúdicas e de formação, de tal forma que seus pais tenham tranquilidade para trabalhar.

Como posso ajudar o Fé e Alegria?
A forma mais simples, mas muito necessária, é com o compromisso de doação mensal de alguma quantia, por meio de débito em conta bancária. Neste sentido, precisamos da colaboração de toda a comunidade. Outra maneira de contribuir é por intermédio do envolvimento com as ações que serão implementadas. Neste caso, também precisaremos do tempo, da dedicação, do conhecimento daqueles que se dispuserem a trabalhar. Visando esta possibilidade, sugerimos que preencha os dados do cadastro anexo.

O que a Jiac & Ação pode fazer pelo Fé e Alegria?
A primeira ação deverá ser a aquisição de materiais destinados a todas as crianças. Para isso precisaremos arrecadar recursos e essa será uma ação pontual. Outra iniciativa poderá ser a contratação de um funcionário para o Fé e Alegria. Por falta deste funcionário, não há como atender as crianças todos os dias e isto é um sério problema para os pais, além de pôr em risco a segurança das crianças. Para essa ação, precisaremos de contribuições mensais. Posteriormente, deveremos fazer mutirões para o atendimento de médicos, psicólogos, dentistas, fisioterapeutas e de outros profissionais.

Como poderei acompanhar o desenvolvimento das atividades propostas?
A Jiac & Ação deverá noticiar suas atividades através deste blog, e-mails e redes sociais. Para assegurar a transparência de suas contas, todos os balanços serão divulgados, bem como a destinação das doações, de tal forma que todos possam ficar cientes de todas as ações, receitas e despesas.

 

Para cadastrar-se no Jiac & Ação, envie os dados abaixo preenchidos para o email jiac.acao@gmail.com.


   Nome:
   Tel:
   Cel:

   E-mail:
   Profissão:
   Habilidades:
   Tenho disponibilidade para participar do projeto nos seguintes dias e horários:
   Minha Sugestão para a Jiac & Ação:

Fique ligado neste blog!

terça-feira, 16 de maio de 2017






É hoje nosso Lucernário!
Acabei de tirar essa foto!
Olha o céu! 👏👏👏
Será no Centro Loyola as 19:30 horas.
Sugestões : Vá de UBER/CABFY/TÁXI
Pedido: Vá de Branco 🙏
 
Rua Sinval de Sá 700

segunda-feira, 13 de março de 2017







Querida Comunidade!
Nesta sexta feira o Grupo dos 5 esteve reunido com muito amor e carinho para a Montagem das Equipes da JIAC 2017.
Temos uma planilha com mais de 2000 nomes, nela constam os nomes das pessoas que fizeram a Jornada, o ano em que fizeram e as equipes que já trabalharam.
Alocamos primeiro os violeiros, os cozinheiros e os acolhidos de 2016.
Depois fomos colocando as pessoas que trabalharam nos últimos anos.
E agora queremos resgatar as pessoas que não trabalham há muitos anos.
Pedimos com muito carinho que se você não for chamado (a) , entre em contato conosco. Queremos uma JIAC cheia de AMOR , ALEGRIA E REENCONTROS.
Que Santo Inácio nos ilumine e que tenhamos feito o melhor para que Deus possa se fazer Presença.